Equipe que trabalha demais é sinal de gestão ruim

"Hora extra"

Domingo de noite, sua família está em casa na frente da televisão com aquele sentimento chato de que o dia seguinte é segunda feira e todos precisam acordar cedo. Mas você está em uma situação muito pior. Você já acordou cedo no domingo, trabalhou o dia inteiro e está tentando terminar o que precisava fazer enquanto come os restos da pizza que você e seus colegas pediram para o almoço.

Esse cenário não é tão desanimador quando o trabalho normal ocorre em fins de semana, mas isso acabou se tornando muito comum também em empresas em que os funcionários trabalham (pelo menos) 40 horas durante o expediente normal durante a semana e precisam esticar a jornada para alguns finais de semana e feriados.

A desculpa que os gestores dão às suas equipes é que um prazo precisa ser cumprido, ou que os concorrentes estão fazendo o mesmo e se a empresa ficar para trás, todos podem acabar perdendo o emprego. Muitaz vezes não existe um incentivo positivo para que esses empregados trabalhem a mais, como um bônus ou pagamento de horas extras. Fica apenas implícito que quem não ajudar vai estar deixando a equipe na mão e pode ter dificuldade em melhorar a carreira dentro da empresa. Enquanto isso a alta gerência, investidores e clientes não sabem ou fingem não saber o que está acontecendo.

É aceitável quando as pessoas precisam trabalhar um tempo a mais em casos de emergência, ou seja, quando isso é uma exceção justificável. Mas quando isso se torna muito frequente, isso é culpa dos gestores.

A desculpa do prazo é a mais comum. O prazo está chegando e parece que o projeto não vai ser entregue a tempo, e para os gestores, a culpa é da equipe que não conseguiu produzir tudo a tempo. Nessa hora eles “esquecem” que quem estabeleceu ou negociou o prazo foram os gestores.

Mesmo que fosse verdade que a equipe fosse formada por um bando de vagabundos preguiçosos, o gestor tem a responsabilidade de selecionar membros de sua equipe (por contratações ou demissões), e por isso se todos da sua equipe estão atrasando seus projetos, ele tem responsabilidade direta nesse resultado. E ele também tem a responsabilidade de motivar sua equipe a produzir, sem precisar forçar alguém a trabalhar mais horas.

A desculpa de que os concorrentes têm como prática comum trabalhar muito mais que as horas combinadas é a pior de todas porque além de tornar esses fins de semanas perdidos em regra, também ajudam a tornar a própria desculpa em que se baseiam em realidade. Não existem consumidores que escolhem pelo número de feriados que foram trabalhados para produzir aquele produto. Não existe serviço que vai manter qualidade com seus principais responsáveis trabalhando sem descanso.

Uma equipe que trabalha demais é um sinal de gestor que tem problemas para administrar tempo, recrutar equipe, motivar pessoas e negociar prazos. Todas funções básicas e importantes para alguém que se diz um gestor. A alta gerência pode usar o número de horas trabalhadas fora do expediente normal como um indicador negativo da performance de gerentes e diretors. Quando esse indicador está muito alto, muitos talentos podem querer sar da empresa, pode se tornar mais difícil contratar novos empregados e a qualidade dos projetos pode cair.

Precisamos de administradores que saibam trabalhar com mais inteligência, que priorizem gerar um serviço de mais qualidade ao invés de maximizar o número de horas que as pessoas trabalham.

Photo by Ryan McGuire

Comentários